Vida Simples

10 Maneiras de Destralhar a Mente

Um dos meus principais objectivos nesta caminhada para uma vida mais simples é destralhar a mente, como diz Robin Sharma – The best way to simplify your life is to declutter you mind.  Nesta publicação falei que quero ser mais presente e viver mais o agora (dica 40). Já tive fases da minha vida que passava num constante estado de ansiedade e posso mesmo dizer de frustração por situações que vivi no passado. Durante um dia inteiro, até mesmo a dormir passam um milhão de pensamentos pela minha cabeça, por isso sofro imenso com insónias. Por exemplo, às vezes acordo a meio da noite e estou o tempo todo a pensar sobre algo que me aconteceu durante o dia ou pensamentos e ideias de coisas que tenho para fazer. Sendo que para mim o mais importante que destralhar a casa é destralhar a mente. E é uma tarefa bem mais difícil, mas não impossível. Tenho vindo a adoptar algumas soluções para lidar com esse problema:

1. Anotar tudo. Eu uso um caderno de notas ou mesmo uma aplicação no telemóvel (Google Keep) para passar tudo o que está dentro da minha cabeça. Ajuda-me muito e assim sei que registei o pensamento e não vou esquecer. Pode ser qualquer coisa, tarefas, ideias ou algum problema a resolver…tudo! Mas uso só aquelas duas ferramentas, para depois não andar perdida também em papéis.

2. Respirar. Nos momentos de mais ansiedade e stress, respiro profundamente e concentro-me durante alguns minutos, 10 a 15 minutos, na minha respiração. Ás vezes o stress faz com que até mesmo a mais simples tarefa seja difícil. Uma boa forma para acalmar a mente é sentir a nossa respiração, não pensar, apenas sentir. Ao fazer isto, deixo de concentrar-me nos pensamentos para passar a concentra-me na respiração.

3. Cuidar mais de mim mesma. Dormir mais, o que significa para mim dormir o suficiente. Antes achava que dormir era uma perda de tempo, e ainda é complicado descansar o suficiente, ás vezes é o meu corpo que me obriga a parar. Tento levar uma vida mais saudável: comer bem e fazer exercício, tento mas nem sempre faço. Mas tenho consciência que se o corpo sofre a mente também sofre, por isso é essencial melhorar a minha saúde. Tenho adoptado uma alimentação o mais saudável possível e gosto muito de fazer caminhadas, estar em contacto com a natureza.

4. Destralhar os itens físicos. Isto é essencial para a simplificação da vida, a desorganização não faz bem a ninguém, para além de que é poluição visual e assim exige mais da nossa atenção, tirando o nosso foco no que realmente precisamos de nos concentrar. Neste momento a minha casa está a necessitar novamente de um destralhe geral e ando a tratar disso aos poucos. É impressionante como conseguimos acumular sempre tanta coisa.

5. Observar como estou a sentir-me e reconhecer o porquê. Controlar os meus pensamentos para ficar mais calma. Agora, quando sinto ansiedade, pergunto-me se é realmente relevante pensar nessa situação. Há coisas que já aconteceram há tanto tempo que não tenho necessidade de pensar nelas e continuar com sentimentos perturbadores.  Com o passar dos anos tenho arrumado muitas gavetas na minha cabeça, o que tem melhorado imenso a minha ansiedade, e cada vez sinto-me mais uma pessoa calma e resolvida.

6. Parar de deter-me sobre as coisas. Claro que isto é mais fácil dizer do que fazer, mas há coisas que acontecem na vida que não dependem de mim, então tenho que aceitar isso, deixar ir e parar de me preocupar com isso, para passar a pensar nas coisas que posso controlar. Pensar em tudo o que me faz feliz: nas minhas filhas, no meu companheiro, na minha família, nas nossas próximas férias no nosso país, no blog ou mesmo em nada. Pensar no nada também faz bem.

7. Identificar o essencial. Escolher bem o que é realmente importante para mim e focar-me nisso. Por exemplo, eu decidi escolher com quem e a que vou dedicar a minha vida. Deixar de perder tempo com pessoas tóxicas e com compromissos sociais, que nada contribuem para a minha felicidade. Mesmo neste mundo virtual, deixar de interagir com pessoas negativas e nada inspiradoras. E assim deixar a mente livre de pensamentos negativos.

8. Concentrar-me numa coisa de cada vez. Quando faço uma série de actividades não presto a necessária atenção a qualquer uma delas. Não é possível fazer o meu melhor ou ser o meu melhor quando estou a tentar fazer tudo a correr e ao mesmo tempo. Multi-tasking não trás mais produtividade nem mais felicidade, ou seja, tenho que fazer uma tarefa de cada vez e só quando terminar, passar à tarefa seguinte. Mas não é fácil para mim!! Aos poucos vou conseguindo fazer uma tarefa de cada vez.

9. Reduzir a carga. Quando não consigo aguentar todas a tarefas, não posso ter medo de pedir ajuda. E isto serve para casa ou no trabalho, pois se nos sentimos sobrecarregados, não há nada de errado pedir ajuda. Então agora com uma bebé tenho mesmo de aprender a pedir ajuda. Relembrar que pedir ajuda só mostra coragem da nossa parte, e não fraqueza.

10. Conversar com quem confio. É muito bom poder falar com alguém que confiamos. Um bom método que uso é falar todas as semanas com a minha irmã. Nós somos gémeas e temos uma ligação muito forte. A minha mudança para França não foi muito fácil no início e o messenger tem sido o nosso melhor aliado, e foi a forma que arranjámos de estar sempre presentes. Se não têm ninguém para confiar, escrever um diário também ajuda. Ao descarregar os nossos pensamentos estamos a aliviar a nossa mente.

Nem sempre é fácil destralhar a mente e colocar os nossos pensamentos de lado, mas tenho dedicado algum tempo a esta “tarefa”. Se tenho notado diferença? Tenho. Noto que o meu passado já está bem mais longe e não regresso a ele tantas vezes e ando menos ansiosa com o futuro. Os meus dias são bem mais calmos e produtivos.

Previous Post Next Post

Também podes gostar de:

2 Comments

  • Reply Joana Grilo

    Também sinto que é um pouco difícil “destralhar a mente” e muitas vezes dou por mim à noite a pensar em coisas que não estão sob o meu controlo, o que me deixa bastante ansiosa. Achei interessante esta publicação com algumas dicas…

    Fevereiro 21, 2019 at 23:03
    • Reply Raquel Silva

      Tenho imensas insónias por estar a pensar em coisas que não estão sob o meu controlo. Nessas alturas escrevo o que me vem à cabeça, às vezes resulta…outras não ! Beijinhos***

      Fevereiro 26, 2019 at 15:28

    Deixa um comentário