Livros

So happy with Nonfiction | Abril: História

Então em Abril para o clube So happy with Non Fiction vamos ler livros sobre História. Desta vez, o sub-género escolhido teve uma maior diferença na votação, mas mesmo assim têm sido renhidas. Acho que neste mês vamos tirar o pó a alguns livros da estante. Ler sobre um período histórico ou sobre algum acontecimento histórico não é das minhas primeiras escolhas, mas tenho alguns livros na minha wishlist e trago algumas sugestões. 

sohappywithnonfiction1

Invencível – Uma história de sobrevivência resistência e redenção de Laura Hillenbrand – uma história que se passa na II Guerra Mundial. e conta a história do tenente Louie Zamperini, que sobreviveu à guerra, à monstruosidade dos homens. E sobreviveu a si mesmo, aos seus fantasmas, ao desejo insano de vingança, ao alcoolismo, a uma vida destroçada pela memória do Horror. Este livro já tem filme.

Noite de Elie Wiesel – livro com o testemunho de Elie Wiesel, que quando era adolescente, juntamente com a família, foi empurrado para um vagão de carga e transportado, primeiro para o campo de extermínio, Auschwitz, e, depois, para Buchenwald. Noite faz parte dos mais pessoais e comovedores relatos sobre o Holocausto, e oferece uma perspectiva rara ao lado mais negro da natureza humana.

As Bruxas de Stacy Sciff – é a história verídica de um mistério primordial da história americana, aqui revelado com uma extraordinária atenção ao detalhe e a prosa empolgante da historiadora Stacy Sciff. A autora mostra-nos as tensões da vida colonial sob o puritanismo e obscurantismo religioso e dos inimigos invisíveis e inventados.

Os Bebés de Auschwitz de Wendy Holden – A história extraordinária da coragem e resiliência de três mães e dos seus filhos nascidos em campos de concentração nazis. A biógrafa Wendy Holden descreve toda a história com minúcia, destacando a coragem destas mulheres e a bondade dos desconhecidos que as ajudaram a sobreviver.

sohappywithnonfiction2

Portugal – A Flor e a Foice de José Rentes de Carvalho – escrito em 1975, em cima dos acontecimentos que então convulsionavam Portugal (e que eram acompanhados com entusiasmo e apreensão pela Europa e o resto do Mundo), este livro é a observação pessoal que um português culto e estrangeirado faz do seu país em mudança.

As Boas Mães de Alex Perry – a história verdadeira das mulheres que enfrentam a máfia mais poderosa do mundo. Nasce-se na máfia ou casa-se com a máfia. A lealdade é absoluta, mata-se ou morre-se sem se trair a família. A máfia calabresa, conhecida como ‘Ndrangheta, é uma das organizações criminosas mais ricas e cruéis do mundo, com ramificações que se estendem à América e à Austrália.

O Rapaz que Seguiu o Pai para Auschwitz de Jeremy Dronfield – Quando Gustav recebeu ordem de transferência para Auschwitz, uma sentença de morte certa, Fritz viu-se perante um dilema: deixar o pai morrer sozinho ou ir com ele… Baseado no diário secreto de Gustav e numa meticulosa pesquisa documental, este livro conta a sua história, e a de Fritz, pela primeira vez.

Os Romanov de Simon Sebag Montefiore –  Baseado numa aprofundada pesquisa de arquivos a que nunca tinha havido acesso, esta é uma obra fascinante e indispensável para conhecer a história empolgante de triunfo e de tragédia, de amor e de morte, de uma família e de um imenso país – um estudo universal do poder e um retrato essencial do império que define a Rússia atual.

Na publicação onde sugeri os três sub-géneros para Abril, indiquei mais 4 sugestões. Neste sub-género tenho todos os livros da autora Svetlana Alexievich e do autor Yuval Noah Harari na minha lista de livros que quero ler, por isso não coloquei nenhum aqui nas sugestões. Podem tirar mais ideias na lista do goodreads, os Melhores Livros de História (Não-ficção) e ainda podem encontrar mais listas deste sub-género.

So Happywith Less (25)

A minha escolha para este mês vai ser Vozes de Chernobyl de Svetlana Alexievich, um livro oferecido pela Dora e que me aguarda há imenso tempo na estante. Muito se fala da escrita desta autora que recebeu o Prémio Nobel de Literatura 2015. Svetlana Alexievich dá voz a centenas de pessoas que viveram a tragédia de Chernobyl, palco do pior desastre nuclear de sempre. Temos diversos testemunhos, desde cidadãos comuns, bombeiros e médicos, que sentiram na pele as violentas consequências do desastre, até as forças do regime soviético que tentaram esconder o ocorrido.

Não se esqueçam de partilhar o livro escolhido e quando terminarem a leitura, é importante que falem um pouco sobre o vosso livro e partilhar no grupo no Facebook, para que todos os participantes possam descobrir novas leituras. Utilizem a hashtag #sohappywithnonfiction nas vossas partilhas, para no final do mês eu juntar todos os links das vossas opiniões e compilar tudo de forma a termos várias indicações literárias de não-ficção.

Vão participar? Qual é o livro que vão ler?

Guarda as sugestões dos 8 Livros de Não-Ficção Histórica no Pinterest

Pinterest (7)


O blog é afiliado da Wook. Ao comprarem os livros usando os links disponibilizados, estão a contribuir para o seu crescimento literário. Obrigada!!

Previous Post Next Post

Também podes gostar de:

Leave a comment

Deixa um comentário